Posted on Leave a comment

Os ídolos se curvam

idolos se curvam

Existe um relato bíblico que soa muito empolgante: em 1 Samuel, lemos que os filisteus roubaram a Arca da Aliança e depositaram-na no templo do ídolo Dagom. Nos dias seguintes, os filisteus encontraram o ídolo prostrado diante da Arca de Deus – sinal de Sua presença.

Os ídolos se dobram diante da Verdade, do Deus de Verdade. O mesmo ocorre com as ideologias do tempo atual: elas se curvam diante da Verdade.

Todo ser humano é igual em dignidade. São João Paulo II, na Teologia do Corpo, deixa isso muito claro: antes do homem e da mulher surgirem, havia a humanidade. Os sexos – a feminilidade e masculinidade – são expressões diferentes de uma comum humanidade.

Temos uma raiz comum: a humanidade, e esta é a origem da nossa dignidade. Um ser humano é ser humano desde o momento da concepção. Filosoficamente, defender outra posição é entrar em diversas contradições.

Ao mesmo tempo, somos todos filhos de um mesmo Pai. A origem da chamada fraternidade universal é esta, afinal, não existe fraternidade sem uma paternidade comum: porque uma fraternidade privada da referência a um Pai comum como seu fundamento último não consegue subsistir (Papa Francisco, 2014).

Diante desses dois ensinamentos, que ecoam nos dois mil anos de cristianismo, todas as ideologias se curvam. Já não há machismo ou feminismo, pois não há espaço para supremacia de nenhum dos sexos. O mesmo acontece com o racismo, já que a cor da pele é um elemento acidental diante da essência comum de humanidade.

O capitalismo selvagem, com uma economia de mercado que ignora o sofrimento humano, desaparece. Afinal, quem ousaria colocar interesses financeiros pessoais acima de um irmão?

O marxismo e suas variáveis são impensáveis, bem como todo e qualquer regime totalitário, porque a liberdade individual é respeitada. 

E, até mesmo, as guerras religiosas desaparecem. O proselitismo violento é trocado pela caridade e toda tentativa de convencimento é movida por amor à Verdade, e não pelo egoísmo.

As ideologias não trazem as respostas suficientes, nem são vencidas por outras ideologias. Ideologia se vence com a Verdade. Só quem se dedica ao conhecimento da Verdade, não permanece refém das ideologias.

Autor: Marcos Favero

Leave a Reply

Your email address will not be published.